Sou Uma Pessoa Romântica?

10:00:00
Oii mundo, hoje venho falar um pouco sobre a minha vida amorosa, sou romântica? Como lido com as pessoas quando estou apaixonada, qual é o meu "tipo"? Amo? Não amo? 



Para começar, eu, Anne, estou solteira. Muitos perguntam o motivo. E eu respondo: Quero paz e nada mais. Pode ser estranho, muitos de nós sentimos paz quando estamos com alguém...quando estamos com aquela pessoa. Sentimos-nos bem com ela. E eu, quando estou com alguém sinto-me bem com ela, de  facto.



Mas o que eu acho é: quando estamos apaixonados, sentimos-nos nervosos, borboletas na barriga, coisas estranhas percorrem no nosso interior, sentimos aquele medo de não ser correspondido e de não ser recíproco, sentimos medo de nos declarar para a pessoa e esta não querer o mesmo que nós.
É termos aquela sensação de não sermos bons o suficiente, pensarmos que essa pessoa tem muitas outras interessadas nela e nós somos apenas mais uma na sua vida.



É uma sensação boa mas terrível ao mesmo tempo. 

E eu não gosto de sentir isso, confesso. Não impeço, mas evito. Se tiver que me sentir assim, sinto. Estou com a pessoa e ela diz-me adeus, não dá mais, tudo bem. Respeito, não corro atrás de quem não sente mais nada, isso é ridículo. Posso ficar triste?

Claramente, mas passa.



Sou uma pessoa que não procura mas quando tenho oportunidade, eu meio que "ataco". 
Não gosto de meios termos, detesto joguinhos. Ou vai ou nem vale a pena perder o meu tempo e o teu. 

Quando não quero, também deixo bem claro. Quando quero, a mesma coisa. Eu não tenho essa de me fazer de difícil, eu entrego-me quando quiser, pode ser no mesmo dia, ou dali a uma semana. Não há cá isso de esperar um tempinho para dar o que ele quer. Eu dou quando quiser e pronto.

Se eu tenho vontade de dizer quais são as minhas intenções, digo e pronto. Se eu quiser apenas conversar e conhece-la, eu faço isso e após isso, logo vejo. 



Tudo isto irá depender da outra pessoa e da minha vontade. Simples assim.

Quando "vai", eu deixo ir, deixo as coisas acontecerem do jeito que tem de acontecer. Não impeço o meu coração de sentir aquilo que ele quer sentir. Mas quando sinto que não vale a pena perder o meu tempo, eu páro.



 Porque sei que não vai dar em nada. Como sei disso? A pessoa dá-me sinais, dá-me pistas...a forma como ela fala, se preocupa-se ou não, se me dá atenção...são sinais que dão a entender de que a pessoa não quer nada ou sente-se indiferente se estou ali ou não.
E temos de estar atentos a isso. 
Não ficar na posição de iludidos. Isso não é bom e magoa bastante. Portanto, o melhor é cortar logo pela raiz quando conheço a peça. Ou sair porta fora antes que seja tarde demais.

Entendo que por vezes o coração não sabe comportar-se e arma-se em esperto. Enfim, depois há consequências.



Sou do tipo de pessoa que quando vejo que não irá resultar nada dali, eu fico quieta. E espero o próximo. Sou atirada? Sou. Mas também sei ser discreta e bem comportada. Quando olho para alguém e penso: Meu Deus, quero bater um papo e dar uns carinhos naquela cara e corpo maravilhoso. Eu vou atrás, stalkeio, converso, encontramos-nos e pronto.
Quem quer procura e vai atrás. 
Quando quero que as coisas sigam com calma, eu vou com calma. Tudo depende.



Quando encontro a pessoa "certa" e realmente gosto dela, eu trato-a bem, sou compreensiva, respeito, ajudo no que for preciso. Trato-a como um amigo de verdade, a diferença é que damos beijos quentes e vamos para a cama. Mas de resto é igual. E na minha opinião é assim. 




Sou romântica, sim sou. Ofereço flores, chocolates, sou carinhosa na altura certa, sei dar o espaço que a pessoa precisa, sei conversar, sei compreender o outro lado, sou ciumenta? Sim, gosto de cuidar do que é meu mas também não sufoco e nem faço um inquérito ou algo do género.
Tem que haver confiança. E se estou com a pessoa de quem gosto, é porque confio nela e ambos, temos que transmitir essa sentimento.



Pode ser arriscado entregarmo-nos de cabeça, mas é assim que funciona. Também é arriscado sairmos de casa e passarmos no meio da estrada, e não deixamos de fazer por mais perigoso que seja. 

Gosto de pessoas que alinham em tudo, (ou quase tudo). Quando digo "Bora?" ela responde "Bora!!" Pode ser qualquer coisa! Pode ser uma bebedeira, ir a uma disco e dançar, um jantar, um passeio, uma tarde inteira na cama a ver filmes, pode ser ir à biblioteca, pode ser irmos a um parque de diversões, fazer um pique nique. Qualquer coisa que a pessoa não fique a pensar se devemos ir ou não. 

Simplesmente vamos pah!



Pessoas que me tiram o fôlego, que estão dispostas a ensinar-me sempre algo novo, que gostam de novas experiências, sejam bem-vindas. Pessoas que fazem briguinhas por tudo e por nada, não olhem sequer para mim. 
Gosto de quem sabe ver  o outro lado da moeda, de quem respeita, gosto de quem não fica chateado e não deixa de falar por causa de algo completamente estúpido. 




Adoro pessoas que dizem aquilo que sentem. Se tem saudades, vão lá e dizem com todas as letras. Pessoas que não são orgulhosas e dizem o que sentem.
Gosto de elogios que surgem do nada, gosto de carinho, gosto de beijos na testa, gosto de massagens, gosto de receber mas gosto de dar na mesma proporção.

  Gosto de equilíbrio, paz e amor.




Gosto de tranquilidade, tanto solteira, em casos ou numa relação. Sei estar livre mas também sei estar comprometida. Vamos permitir o nosso "eu" de apaixonarmos-nos, de amarmos, ou de simplesmente
ficarmos quietos no nosso canto. 
Espero que tenham gostado, fiquem bem e até amanhã!
Anne

1 comentário:

  1. Eu sou muito sincera, já fui uma pessoa muito mais romântica mas à medida que fui sofrendo, fui ficando mais fria e acho que tão cedo ninguém vai conseguir "destruir" esse gelo que está no meu coração!

    Beijinhos
    THAT GIRL | FACEBOOK PAGE | INSTAGRAM | TWITTER

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.